onto.pt
onto.pt

“Dicionário” para computadores criado em Coimbra vence prémio internacional

Uma espécie de dicionário para ser utilizado por computadores – WordNet –, desenvolvido pelo investigador Hugo Gonçalo Oliveira, da Universidade de Coimbra (UC), venceu o prémio de Melhor Tese de Doutoramento numa competição internacional.
O “dicionário” para “ajudar os computadores a perceberem melhor a língua portuguesa” conquistou a distinção atribuída no âmbito da 11.ª International Conference on Computational Processing of Portuguese (PROPOR 2014), que irá decorrer na Universidade de São Carlos, em São Paulo (Brasil), entre os dias 06 e 08 de outubro, anunciou hoje a UC.
Na prática, o trabalho premiado pela PROPOR 2014 (“o principal evento internacional na área do processamento computacional da língua portuguesa”), permite que “os computadores entendam mais de português”, explicita a UC.
Para os computadores compreenderem a língua dos humanos são necessárias “várias ferramentas complexas que os ‘ensinem’”, sublinha a UC, indicando que “uma dessas ferramentas é precisamente a WordNet”.
A WordNet é “uma base de dados lexical que organiza as palavras de acordo com os seus possíveis sentidos” (estão para as máquinas como os dicionários estão para os humanos) e serve para “o computador compreender o que está escrito, no caso em português”, esclarece Hugo Gonçalo Oliveira.
Para a língua portuguesa, “as wordnets existentes têm limitações ao nível da disponibilidade, método de construção e cobertura”, acrescenta o autor do projeto, que é docente do Departamento de Engenharia Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC.
O Onto.PT, designação atribuída à ferramenta desenvolvida por aquele especialista, procura “ultrapassar essas limitações através da criação gratuita” (disponível emhttp://ontopt.dei.uc.pt) de “grandes dimensões e gerada de forma automática, para assim ultrapassar o tempo necessário para uma construção manual”.
Recorrendo a esta e outras ferramentas criadas entre 2010 e 2013, no âmbito deste projeto orientado pelo investigador Paulo Gomes, os computadores “poderão compreender melhor a língua portuguesa, o que poderá ter impacto no desenvolvimento de melhores sistemas de pesquisa inteligente, de ajuda à escrita ou de tradução automática, entre outros”, conclui Hugo Gonçalves Oliveira.
Lusa – Coimbra, 14 julho

 

Sem comentários

Deixe uma resposta

*

*