indisciplina na sala de aula
indisciplina na sala de aula

Compreender a (in)disciplina na sala de aula: uma análise das relações de controlo e de poder.

O estudo faz parte de uma investigação mais ampla que procura compreender a relação entre os comportamentos de (in)disciplina e as práticas pedagógicas dos professores e explorar razões subjacentes a essa relação. Teoricamente, a investigação baseia-se no modelo do discurso pedagógico de Bernstein. O estudo centra-se em quatro casos de alunos, de duas turmas de Ciências da Natureza do 6º ano de escolaridade e tem como objectivos: (1) analisar os comportamentos de (in)disciplina em função da interacção entre as disposições sócio-afectivas e a orientação específica de codificação dos alunos para as relações de controlo e de poder que caracterizam o contexto regulador das práticas pedagógicas dos professores; e (2) avaliar em que medida essa interacção permite explicar diferentes níveis de indisciplina. Os resultados sugerem que os comportamentos de indisciplina em sala de aula são o resultado da interacção entre as disposições sócio-afectivas dos alunos para as práticas dos professores e a sua orientação específica de codificação para as relações de controlo que caracterizam o contexto regulador dessas práticas. Sugerem, também, que orientações específicas de codificação distintas para as relações de poder professor/aluno, podem explicar diferentes níveis de indisciplina.

SILVA, Maria Preciosa  e  NEVES, Isabel Pestana. Compreender a (in)disciplina na sala de aula: uma análise das relações de controlo e de poder. Rev. Port. de Educação[online]. 2006, vol.19, n.1 [citado  2014-07-14], pp. 5-41 . Disponível em: <http://www.scielo.gpeari.mctes.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0871-91872006000100002&lng=pt&nrm=iso>. ISSN 0871-9187.
Sem comentários

Deixe uma resposta

*

*