Uminho_canal4

Aparência física é principal causa de agressão nas escolas

Um estudo da Universidade do Minho revela que entre 25 a 42% dos alunos do ensino básico e secundário já viram os colegas a serem insultados. A aparência física, a orientação sexual e o rendimento escolar são as principais causas de discriminação

O estudo da Universidade do Minho, intitulado de “Políticas, Governação e Administração na Educação: Democracia, Territórios e Desigualdades” foi apresentado esta sexta-feira, dia 31 de Março, na academia minhota, dá conta que entre 25 a 42% dos alunos do ensino básico e secundário já viram os colegas a serem insultados.

A aparência física, a orientação sexual e o rendimento escolar são as principais causas de discriminação entre os jovens. No âmbito da investigação da Universidade do Minho, realizada de 2013 a 2016, foram inquiridos 739 estudantes de quatro escolas dos distritos de Braga e Faro, com o objectivo de conhecer as causas, as percepções e os efeitos da discriminação.

“Ser gordo” é a primeira causa de discriminação apontada pelos jovens inquiridos, seguindo-se a dimensão das mãos, dos pés, do nariz, das pernas e dos braços. Ser tímido, nerd ou apresentar dificuldades na aprendizagem escolar, ter orientações sexuais diferentes, não usar “roupa de marca” ou ter “sotaque” são outros dos motivos destacados pelo estudo da equipa do Centro de Investigação em Educação da UMinho.

Licínio Lima, membro do Centro de Investigação em Educação da UMinho afirma que é necessário dar conta “desta matéria porque se tratam de formas de discriminação que, ainda por cima, os adolescentes e os jovens estudantes, alunos do ensino básico e secundário, não veem isto como forma de discriminação”. O investigador refere ainda que “o estudo realizado aponta para que muitas vezes são os mais populares de quem se espera que digam estas coisas… ‘tratam-se apenas de brincadeiras’, são as justificações que os jovens dão”. Sendo assim, os 18 investigadores do projecto alertam para a “natualização” da discriminação.

Os resultados da investigação, no que diz respeito às zonas com mais episódios de violência, destaca que nas escolas do Sul do país, 42% dos alunos já viram os colegas a serem insultados, contra 25% no Norte. A percentagem diminui de forma acentuada quando os próprios inquiridos afirmam ter sido agredidos verbal e fisicamente.

Os dados deste projecto debatem-se, esta sexta-feira, até às 18h00 com as intervenções de duas dezenas de especialistas, incluindo as deputadas Joana Mortágua, do Bloco de Esquerda, e Ilda Araújo Novo, do CDS/PP, que fazem parte da Comissão de Educação e Ciência da Assembleia da República, além de Jorge Saleiro da Associação Nacional de Dirigentes Escolares, Graça Moura, da Federação Nacional da Educação e Abel Macedo, da Federação Nacional de Professores.

URL: http://www.rum.pt/news/aparencia-fisica-e-principal-causa-de-agressao-nas-escolas
Sem comentários

Deixe uma resposta

*

*